quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Projeto Sampler 2017 - Bloco 32

Bom dia!

Olha a reta final aí, gente...! Um mês para o fim do projeto!

Conforme prometido na semana passada, hoje vamos aprender a costurar o bloco com a flor exótica mostrado como exemplo na lição 30. Ele cai como uma luva para a lição de hoje porque utiliza a sub-unidade tripartido - que não utilizamos há um bom tempo. Já estava mesmo na hora de revisá-la.


Este bloco é bastante atípico: repare que ele não se ajusta à quadriculada; ele medo oito polegadas como todos os nossos bloquinhos, mas eu desenhei a flor com cinco polegadas e o cabinho com três - de forma a obter proporções equilibradas. Isso foi possível porque o cabinho da flor na verdade é uma sub-unidade bastante flexível e pode ser costurada em qualquer tamanho.

Você já deve ter percebido que a flor é formada por 4 peças: um quadradinho, um bipartido e dois tripartidos. Moleza, né? Ela mede 5 polegadas, então cada sub-unidade será confeccionada com 2 1/2".

Vamos à lista: 

Para o bipartido, corte quadradinhos de 3 3/8" (2 1/2 + o acréscimo de 7/8); sim, essa medida é nova - nunca a utilizamos neste projeto. Ela corresponde a quase 3 1/2 - apenas um oitavinho antes. Corte uma vez em tecido médio e uma vez em tecido escuro (recomendo escolher dois tons razoavelmente próximos da mesma cor). Monte os bipartidos como você já aprendeu (você terá na verdade dois bipartidos; guarde um para outro projeto ou faça duas flores, uai!).

Para os tripartidos, corte:
  •      HS: é o triângulo maior; você vai usar dois deles para os dois tripartidos, então corte um quadradinho de 3 3/8, na cor média; corte uma vez na diagonal e reserve; 
  •      QS: corte com 3 3/4" (2 1/2 + o acréscimo de 1 1/4") uma vez em tecido escuro e uma vez em tecido coringa. você vai cortar esses quadrados na diagonal duas vezes (como um "X"); e obterá portanto 4 triangulinhos de cada cor; mas vai utilizar apenas dois de cada, certo? Monte os tripartidos como você já aprendeu.

Importante: A explicação sobre HS x QS e quais os acréscimos necessários para cortar o tripartido você encontra na lição básica nº 7;  e aqui na aulinha do bloco nº 6 de nosso projeto você encontra o passo-a-passo para montar a sub-unidade. Na dúvida, volte atrás um pouquinho e releia. 

O quadradinho complementar da flor mede 2 1/2"; corte com 3 polegadas, uma vez, em tecido coringa. Siga o esquema de montagem. As setas mostram como passar as margens de costura. Atenção à posição das peças:

Focando no cabinho, agora:
  •      Ele mede três polegadas; corte o quadrado principal com 3 1/2", uma vez, no tecido verde.
  •      Para quebrar os cantos, corte dois quadradinhos com 3", em tecido coringa. Costure o cabinho como você aprendeu nas duas últimas lições (do bloco libélula e do bloco folha)
Finalmente, corte os dois retângulos complementares: eles medem 5 x 3, então corte com 5 1/2" x 3 1/2", duas vezes, em tecido coringa. Siga o esquema para finalizar o bloco:

E a última costurinha:


Pronto!

Este centro de mesa é um exemplo de projeto que podemos confeccionar utilizando o bloco folha - da semana passada - e o bloco de hoje. Repare no design mostrado abaixo com e sem as linhas de contorno:



Ao centro, foram utilizados quatro blocos flor; e nas bordas eu incluí oito blocos folha confeccionados com a metade do tamanho das flores. 

Só agora percebi que não utilizei azuis nos designs da aula de hoje - como fiz em todas as lições anteriores. Instintivamente usei o vermelho, hoje. Talvez seja influência do Natal se aproximando: três meses apenas! O que vocês estão planejando costurar para as festas de fim de ano?

Boa semana e até quarta!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Projeto Sampler 2017 - Bloco 31

Boa tarde!

Fiquei triste esta semana por não conseguir postar o bloco da vez em dia; mas, como expliquei lá na página do ateliê no facebook, foi por motivo de saúde: Tomei a vacina contra a febre amarela na segunda-feira, e ela me derrubou um pouco; mas desde ontem comecei a voltar ao normal.

Na semana passada eu postei o bloco libélula, e mostrei outros exemplo de utilização do canto quebrado maiorzinho; parece que algumas pessoas ficaram vidradas nos exemplos que mostrei - a flor e a folha; e eu recebi diversas mensagens pedindo para eu postar a receita daqueles blocos. Por que não? Eu tinha outros blocos planejados para este finalzinho do projeto - faltam apenas 6! -, mas fiquei contente com os pedidos e vou atendê-los.

Vamos começar pela folha?


Nem tem graça, né? Muito fácil, e quem vem acompanhando todas as lições do projeto mal vai precisar olhar as instruções.
A lista de corte fica assim:

- quadradinhos: medem 2 polegadas; corte com 2 1/2" - sendo 1x em verde e 1x em branco;
- retângulos: medem 2 x 4; corte com 2 1/2" x 4 1/2", 2x, em tecido coringa; e 1x em tecido verde;
- bipartidos: medem 2 polegadas; corte com 2 7/8", 2x no tecido verde e 2x no coringa; monte os bipartidos como você já aprendeu nas lições anteriores.
- cabinho: mede 4 polegadas. Corte um quadrado verde medindo 4 1/2"; para quebrar os cantos, corte dois quradrados medindo 4 polegadas, em tecido coringa. Monte o cabinho como mostrado na lição anterior.

Agora é só seguir os esquemas de montagem. Na primeira parte, repare nas setas vermelhas, que mostram como você deve passar as margens de costura; nas outras partes a direção da margens não é importante. Atenção também à posição dos bipartidos. Esta é a montagem da primeira metade da folha:


Segunda metade:

E agora juntando tudo:

Prontinho!

Hoje, excepcionalmente, não vou sugerir um projeto para utilizar este bloco: estou planejando algo que utilize a folha e também a flor, que postarei na semana que vem. Surpresa!

Bom fim de semana e até quarta que vem!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Projeto Sampler 2017 - Bloco 30!

Bom dia!

Vamos lá - hoje é dia de bloco novo, e vejam que número redondinho: 30! Parece que foi ontem, mas estamos chegando na reta final. Daqui a seis semanas teremos nossos 36 blocos.

Hoje vamos costurar uma libélula e relembrar as técnicas bipartido e canto quebrado - esta última empregada para um efeito diferente e bem útil.

Vejam que lindinha:


Com seu olhar treinado, você deve ter percebido que as asas são formadas por bipartidos; a unidade que forma a cabeça contém quadradinhos e um retângulo; e o corpo.... diferente, né? São quadrados azuis com os cantos quebrados em branco - mas são cantos quebrados bem grandes, apenas ligeiramente menores do que o quadrado azul: uma proporção bem diferente do que fizemos até agora, e aí só uma "tirinha" azul fica vizível, formando o corpinho. Essa técnica também é muito útil para formar caules de flores e folhas. 

Vamos à lista de corte:

Asas:

Cada sub-unidade mede duas polegadas; corte tudo com 2 7/8, sendo:
  •      Duas vezes em tecido verde médio;
  •      Três vezes em tecido verde claro;
  •      três vezes em tecido coringa.

Monte os bipartidos como você já aprendeu. Repare nas combinações de cores que você vai precisar:

Cabeça:

A sub-unidade mede suas polegadas; então os quadradinhos medem 1 polegada, e o retângulo mede 1 x 2. Corte:
  •      Um quadradinho de 1 1/2" na cor azul escuro;
  •      Um quadradinho de 1 1/2" em coringa;
  •      Um retângulo de 1 1/2" x 2 1/2" em coringa.

Você já sabe como montar: costure juntos os dois quadradinhos; passe as margens para um lado só; acrescente o retângulo. Tranqüilo!

Corpo:

As sub-unidades medem duas polegadas; corte:
  •      Dois quadradinhos de 2 1/2 na cor azul escuro;
  •      Quatro quadradinhos de 2", em tecido coringa, para quebrar os cantos.
Siga o esquema para montar essas peças:


Viu só? Sem segredos!

Peças complementares: Corte em tecido coringa:
  •      Três quadradinhos de 2 1/2";
  •      Um retângulo de 2 1/2" x 4 1/2".


E a montagem é muito simples - basta racionar por "linhas". As setas vermelhas são para lembrar que as margens de costura devem ser passadas invertidas de linha para linha - para facilitar sua vida na próxima etapa. PRESTE MUITA ATENÇÃO À POSIÇÃO DAS CORES E DIAGONAIS DOS BIPARTIDOS:

E por fim, una as quatro "linhas", formando o bloco. Pronto!

Eu disse que essa técnica usada no corpinho da libélula também é útil para criar hastes de folhas e flores; aqui vão exemplos:


E por falar em exemplo, aqui vai uma sugestão de projeto com o bloco libélula:



Parece complexo; mas vejo só o design com as linhas de contorno:



Na verdade o que temos aqui é:

     - oito blocos com a libélula; nos blocos usados nos cantos eu acrescentei bordas em toda a volta; nos blocos usados no centro eu acrescentei bordas apenas em dois dos lados - isso criou o efeito de vôo aleatório no medalhão central, dando movimento às libélulas;

     - oito blocos "espiral" que você já aprendeu a fazer - ele foi o bloco nº 14 de nosso projeto.

Só isso!

Esta foi a nossa sessão-colírio de hoje. Porque a vida é feita de inspiração!

Até semana que vem!

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Ó, Dúvida Cruel!

Patchwork é fácil. Muito fácil!

Difícil mesmo é decidir!

Esses dias assisti a um trecho de uma palestra do professor Leandro Karnal; ele diz que a angústia do ser humano é diretamente proporcional à quantidade de opções disponíveis. A gente reclama quando não tem escolha; mas quando tem, a gente sofre para escolher...!

Na hora de confeccionar uma nova peça em patchwork, é comum gastar um tempo para decidir sobre o estilo, o design e os tecidos. O céu é o limite, e ninguém quer se arrepender. O que fazer, então?

Alguns anos atrás eu construí uma casa, e na fase final fui à loja de materiais escolher os acabamentos. Entrei e pirei: era muita opção para uma cabeça só decidir. Larguei tudo , fui para casa e me joguei em uma pilha de revistas de arquitetura e decoração (naquela época não havia o Pinterest nem os blogs de decoração). Folhei páginas, analisei fotos e fui, aos poucos, definindo dentro da cabeça o estilo, o visual que eu queria para o banheiro, a cozinha, etc.

Hoje, tempos mais modernos, temos os recursos tecnológicos que citei acima. Ajuda? Não, atrapalha rsrsrsrs...!

Brincadeira. Ajuda e muito, se soubermos praticar o auto-conhecimento, se pudermos definir um estilo - ou inventar o nosso. Eu costumo brincar que o Pinterest é o portal do diabo: após uma visitinha de meia hora queremos mudar o cabelo, a casa toda, o guarda-roupa, as receitas que gostamos de cozinhar... e tudo o mais na vida. A exposição a novas possibilidades é muito grande, e a angústia não perdoa.


Rústica & moderna, clássica, étnica, romântica...? 

Para esses recursos ajudarem de verdade, é necessário saber distinguir realmente quem somos: Não adianta ficar empolgada com uma foto de um lindo visual sofisticado e elaborado para a noite, se no fundo você se sente confortável mesmo é com um visual mais básico, minimalista, enxuto. Não adianta suspirar pela sala do chalé com paredes de madeira, tapetes de lã, muitas almofadas coloridas, lareira... se no fundo você se sente melhor em ambientes mais leves, claros, envidraçados. Até quando folheamos revistas de moda, há aquelas páginas em que não conseguimos passar batido: damos aquela paradinha, aquela segunda olhada, porque de alguma forma nos identificamos com aquele visual - mesmo que todas as fotos na revista sejam lindas, nem todas nos representam.

Da mesma forma, você pode achar lindas todas as fotos de decoração que vê na internet, mas tem umas que representam melhor seu estilo - ou o estilo que você prefere hoje: ao longo dos anos, seu estilo pode mudar e se aperfeiçoar.

Vou mostrar um pouco do processo que, mesmo sem pensar, eu segui, recentemente, ao confeccionar um novo xale de leito para meu quarto. Meu estilo costumava ser mais básico, neutro, enxuto e natureba; mas de uns anos para cá baixou a Frida Kahlo em mim, e comecei a ansiar por ambientes mais despojados, descombinados e coloridos. Caí então de amores por esta foto - principalmente o tapete:


Eu não encontraria um tapete igual para comprar; mas como eu podia desenhá-lo no computador, resolvi fazer uma colcha de patchwork igual. O projeto ficou assim:


Mas aí achei o visual poluído demais - a colcha "roubaria" a cena de tudo o mais no quarto. Comecei então a brincar com designs nesse estilo étnico até encontrar um que não fugisse ao estilo, mas fosse, ao mesmo tempo, um pouco mais leve.

Desenhando o projeto no computador, é possível detectar se o design está poluído demais, ou se tem áreas brancas demais, por exemplo.

No fim das contas, com receio de cansar do novo visual, optei por um xale de leito - que é usado sobre uma colcha mais básica e não é tão "centro das atenções" quanto uma colcha seria. Abaixo, os vários designs que testei e cogitei, e o projeto final:

Achei que este design continha muita informação...

... e que este tinha áreas brancas demais. Para quem tem gatos em casa, isso não seria legal. 

Achei este bem equilibrado, mas no momento não estava com disposição para encarar um projeto com milhares de bipartidos! 

Esta foto inspirou o design acima.

Projeto final: mesmo estilo, mas com blocos simplificados.

E o projeto pronto: aos poucos, o quarto vai ficando com o "ar" que eu queria. 

Resumindo o processo:
  1.      Exponha-se a muitos estímulos - muitas fotos e idéias;
  2.      Defina o aspecto geral do cômodo que vai ganhar a nova peça em patchwork;
  3.      Teste alguns designs, pensando pelo lado estético e prático;
  4.      Faça sua escolha final e confeccione logo a peça antes que mude de idéia rsrsrsrs!

Escolher vai se tornando mais fácil à medida em que você vai pesquisando mais e ganhando confiança. Mantenha os olhos bem abertos e exercite!

E por falar em escolher... separei hoje os tecidos para um novo projeto - uma manta de sofá. Eles estão arrumadinhos aqui na minha bancada de trabalho, e várias vezes por dia eu passo por eles e, se for o caso, faço alguma mudança. Gosto de ir me acostumando aos poucos com os tecidos escolhidos, e só começo depois de me sentir totalmente confortável com eles:


Estou mudando o estilo da sala totalmente. A inspiração também veio da internet: caí de amores pela casa de adobe da artista plástica Geninne's Art, que usa muitos azuis em suas pinturas, ilustrações e cerâmicas. Depois eu mostro no que isso vai dar.

Por hoje é só! 'Bora costurar?

Bom fim de semana!

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Projeto Sampler 2017 - Bloco 29

Bom dia!

O pessoal que segue este projeto anda super animado, e esta semana recebi várias fotos de blocos bem bonitos:
Blocos confecionados pela Renata Alves (Jabuticabal, SP)

Blocos confecionados pela Sandra Traetta, aluna presencial do ateliê. A Sandra teve trabalhos seus premiados, em 2016 e 2017, no Festival Nacional de Teresópolis; mesmo assim, ela está seguindo o projeto - que é de nível iniciante, mas funciona como uma ótima revisão e oportunidade de praticar. 


Hoje é dia de bloco novo, então vamos lá:

Este bloco parece difícil por conta das formas trapezóides em torno do catavento central - na ilustração acima, na cor branca. Mas, na verdade, para conseguir esse efeito vamos utilizar a técnica de canto quebrado duplo.

Vamos começar pelo catavento central - que você já faz até de olhos fechados. Ele mede 4 polegadas - cada bipartido mede duas polegadas. Então corte:
  •      dois quadrados de 2 7/8" no coringa;
  •      dois quadrados de 2 7/8" no tecido azul claro

Monte os bipartidos e o catavento como você já aprendeu nas lições anteriores.

Etapa 2: coloque bordas em tecido azul escuro em toda a volta do catavento; essas bordas devem deixar o bloco "temporário" com 8 polegadas - seu tamanho final. O catavento mede 4; para chegar a 8 faltam mais 4; então coloque bordas de 2 polegadas em toda a volta. Se as bordas precisam medir 2" você vai cortar com... 2 1/2"!

Siga o esquema:


Etapa 3: quebre os quatro cantos em tecido coringa (ou algo bem clarinho). Esses cantos medem metade do tamanho do bloco - 4 polegadas; corte, portanto, quadrados de 4 1/2", 4 vezes.

Quebre os cantos como você já aprendeu. Siga a orientação:


Etapa 3: Quebre os cantos novamente - desta vez, utilizando quadradinhos menores, em tecido azul escuro. Esses cantinhos medem 2 polegadas, então corte 4 quadradinhos de 2 1/2". Siga o esquema:


Viu só? Nada de cortar trapezóides!

Algumas pessoas me questionaram sobre o desperdício gerado pela técnica canto-quebrado. Na verdade, existem truques para aproveitar essas sobras, mas vou explicar melhor em outra oportunidade.

Com 4 desses blocos, você pode criar uma bela peça quadrada - um centro de mesa, painel ou almofada. Repare que eu intercalei os blocos principais com blocos snow ball (ou "bola de neve") - que são apenas quadrados com os cantos quebrados (em vermelho, neste design). Acrescentei pré-bordas em tecido listrado, e bipartidos também vermelhos nos cantos, para unificar o efeito. Depois, bordas finais em tecido de estampa miúda vermelha:


Com mais blocos, você poderia criar uma manta de bebê. Inclusive, é possível acrescentar motivos infantis em appliqué nas áreas brancas do bloco snow ball. Barquinhos, ursinhos, bonecas... o que sua imaginação mandar!

Nunca deixe de exercitar a imaginação. Até semana que vem!

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 28

Bom dia!

Hoje vamos montar um bloco bem simples, mas que, juntando vários, o resultado é um efeito maravilhoso de argolas! Mas isso eu só vou mostrar no final. Por enquanto, vamos focar apenas em um bloco:

É importante neste caso usar apenas dois tons ou cores contrastantes, além do coringa. Deu para visualizar qual é a técnica principal? É o canto quebrado!

Vamos à lista de corte de cada parte, seguida do esquema de montagem:

Peça A - centro do bloco:

    - quadradinho principal mede 2 polegadas; corte com 2 1/2", em tecido coringa;
    
    - retângulos que contornam o quadradinho central:

  •      uma peça de 2 x 1; corte com 2 1/2" x 1 1/2", uma vez, em tecido de tom médio;
  •      um quadradinho* de 1 x 1; corte com 1 1/2" x  1 1/2", uma vez, no mesmo tecido médio usado na peça anterior;
  •      três peças medindo 3 x 1; corte com 3 1/2" x 1 1/2", uma vez no tecido médio e duas vezes no tecido escuro.
*Na verdade existe um jeito de eliminar esse quadradinho e trabalhar apenas com 4 retângulos; mas isso envolveria uma técnica de costura mais avançada - o que não é nosso propósito neste projeto. 


Para montar a peça central do bloco siga o esquema:


Peças B e C: são idênticas - apenas a cor dos cantinhos quebrados é diferentes. Essas peças medem 4 x 2, então corte:

     - 4 retângulos em coringa medindo 4 1/2" x 2 1/2";
     - para quebrar os cantos: quadradinhos medindo 1 1/2", sendo 4 vezes na cor escura, 4 vezes na cor média.

Quebre os cantos dos retângulos brancos como você já aprendeu nas lições anteriores. O resultado deve ser 4 peças com esta aparência:

Peças D e E: São idênticas, mas o esquema de cores muda - então atenção na hora da montagem! Corte:

     - os quadradinhos medem uma polegada; corte com 1 1/2, sendo quatro vezes em coringa, duas vezes em tom médio e duas vezes em tom escuro;

     - os retângulos medem 2 x 1; corte com 2 1/2" x 1 1/2", sendo duas vezes em tom escuro e duas vezes em tom médio. 

Siga o esquema de montagem, confeccionando duas peças de cada:


OBS.: Estamos costurando apenas um bloco; se fosse o caso de múltiplos blocos, a primeira etapa da peça acima - a união dos dois quadradinhos - poderia utilizar a técnica de strip-piecing, que eu já expliquei aqui

Agora é a hora da diversão principal - juntar tudo! Siga o esquema abaixo, e não esqueça da jogada das margens de costura invertidas que você já aprendeu nas instruções dos blocos anteriores (repare nas setas vermelhas). Atenção também à posição das cores:

Monte as linhas primeiro...


...e depois una as linhas:


PRONTO!!!

Agora... o espetáculo mesmo acontece quando a gente une vários blocos; imagine, por exemplo, blocos com coringa preto e duas cores bem vibrantes formando as "argolas":

Mesmo com a união linear e simples do bloco, o projeto já fica visualmente bem elaborado; então eu acrescentaria bordas muito simples, no mesmo tecido usado como coringa, e apenas o viés colorido como acabamento. Só isso!

Recentemente minha aluna Beatriz Barbosa fez uma colcha desse modelo; a peça participou do Festival Nacional de Teresópolis no início do mês. Repare na foto do detalhe que o espaço dentro das "argolas" permitiu o uso de um design de quiling livre bem caprichado:



Este projeto também renderia uma deliciosa mantinha para bebês, em cores primárias ou tons pastéis. Use sua imaginação, e divirta-se!

Ainda esta semana eu volto com a foto dos últimos quatro blocos costurados - eu tenho feito os meus de 4 em 4, então está na hora de costurar mais alguns.

E você - como vãos seus bloquinhos? Mande fotos para a gente postar também!

Abraço e até breve!

sábado, 19 de agosto de 2017

Já assistiu aos vídeos do Ateliê?

Bom dia!

Sábado frio e chuvoso aqui no Sul de Minas - ideal para costurar! Estou trabalhando em um projeto novo, mas dei essa passadinha aqui no blog só para compartilhar links para a página do ateliê no facebook: tenho postado transmissões ao vivo mostrando as peças que fazemos e como utilizamos o design digital a nosso favor.

Como nem todo mundo acompanha o facebook, deixo aqui os links:

Vídeo sobre design customizado - explicando o que é e como a gente faz. Clique aqui.

Vídeo mostrando os tipos variados de peças que fazemos, falando do material necessário e de nossa filosofia de ensino: clique aqui.

E atendendo a pedidos, na segunda-feira vou fazer uma transmissão ao vivo sobre o quilting livre. Para quem não sabe, é a costura decorativa que deixa a peça acolchoada:


Detalhe de peça feita pela Beatriz Barbosa, aluna do ateliê, e quiltada por mim. Participou do Festival Nacional de Teresópolis este mês.

Painel feito pela Kumiko Amagai (na foto) e quiltada por mim. Participou do Festival Nacional de Teresópolis este mês. Clique para ampliar e ver o design do quilting.

Em geral quem é novo no patchwork teme o quilting, mas não há razão para isso: quiltar é fácil, terapêutico e divertido. E o resultado é maravilhoso!

Então na segunda-feira eu vou mostrar ao vivo como se faz o quilt, dicas para aprender, como preparar a peça e etc. Acompanhe com a gente por volta das 20h, lá no facebook. Curta a página do ateliê para ver a notificação do início da transmissão. Quem não estiver no facebook poderá assistir ao vídeo aqui no blog em ocasião posterior.

Bom fim de semana e até segunda!