sábado, 19 de agosto de 2017

Já assistiu aos vídeos do Ateliê?

Bom dia!

Sábado frio e chuvoso aqui no Sul de Minas - ideal para costurar! Estou trabalhando em um projeto novo, mas dei essa passadinha aqui no blog só para compartilhar links para a página do ateliê no facebook: tenho postado transmissões ao vivo mostrando as peças que fazemos e como utilizamos o design digital a nosso favor.

Como nem todo mundo acompanha o facebook, deixo aqui os links:

Vídeo sobre design customizado - explicando o que é e como a gente faz. Clique aqui.

Vídeo mostrando os tipos variados de peças que fazemos, falando do material necessário e de nossa filosofia de ensino: clique aqui.

E atendendo a pedidos, na segunda-feira vou fazer uma transmissão ao vivo sobre o quilting livre. Para quem não sabe, é a costura decorativa que deixa a peça acolchoada:


Detalhe de peça feita pela Beatriz Barbosa, aluna do ateliê, e quiltada por mim. Participou do Festival Nacional de Teresópolis este mês.

Painel feito pela Kumiko Amagai (na foto) e quiltada por mim. Participou do Festival Nacional de Teresópolis este mês. Clique para ampliar e ver o design do quilting.

Em geral quem é novo no patchwork teme o quilting, mas não há razão para isso: quiltar é fácil, terapêutico e divertido. E o resultado é maravilhoso!

Então na segunda-feira eu vou mostrar ao vivo como se faz o quilt, dicas para aprender, como preparar a peça e etc. Acompanhe com a gente por volta das 20h, lá no facebook. Curta a página do ateliê para ver a notificação do início da transmissão. Quem não estiver no facebook poderá assistir ao vídeo aqui no blog em ocasião posterior.

Bom fim de semana e até segunda!

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 27

Bom dia!

Por aqui o tempo já deu uma esquentadinha e os dias estão cada vez mais parecidos com a primavera! O fim do ano logo estará aí, e nosso sampler vai chegando ao fim: faltam apenas 9 blocos para completar nossa meta. Ufa!

E continuando hoje no espírito da primavera, vamos costurar uma borboleta! Lindinha e super fácil:

Com seu olhar treinado você já deve ter percebido que a parte superior é formada por bipartidos, e a parte inferior é formada por quadrados com três cantos quebrados. Nossa lista de corte é bem simples:

- As "asas" superiores medem 4 polegadas; corte quadrados de 4 7/8 - uma vez em tecido azul, uma vez em coringa.

- As "asas" inferiores medem 4 polegadas também; corte:
  •      quadrados de 4 1/2", em tecido azul, duas vezes;
  •      para quebrar os cantos, quadrados de 2 1/2", 6 vezes, em tecido coringa.

A montagem também é bem simples:

- Comece montando os bipartidos (asas superiores) como você já aprendeu; você tera dois bipartidos; em um deles, passe a margem de costura para o lado azul; no outro, passe para o lado coringa.

- Una os dois bipartidos como mostrado no desenho; as margens já estarão devidamente invertidas, pois você já tomou esse cuidado no passo anterior. Reserve.

- Agora, quebre os cantos dos quadrados azuis de 4 1/2" para formar as asas inferiores. Siga o esquema (as instruções estão mais enxutas porque você agora já é fera em canto quebrado!):
Hora de juntar as partes superior e inferior. Repare que o desenho mostra como as margens devem estar invertidas (setas vermelhas):

Por fim, borde ou pinte as anteninhas. Pronto: sua borboleta já pode voar!

Imagine uma mantinha de bebê, combinando o bloco borboleta com blocos de quadradinhos simples, e posicionando as borboletas em direções diversas para dar o efeito de revoada:


No desenho acima eu mantive as linhas de contorno pretas para facilitar a visualização do design; veja agora o efeito sem as linhas de contorno:


O efeito diagonal dos quadradinhos apareceu muito mais, né? Patchwork é isso: melhor que jardim de infância!

Conte para a gente como tem sido seu aprendizado; comente sobre as postagens - as explicações estão fáceis para você? Dificeis? Mais ou menos? Você tem sugestões? Lembre-se que este é um projeto interativo, e que seus comentários, sugestões, etc., serão bem vindos. E, principalmente, envie fotos dos seus bloquinhos prontos.

Obrigada e até quarta-feira que vem!

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

"Cotinhas" são premiadas no Terê Quilt 2017

Olá!

Hoje foi um dia muito feliz para nós!  Estou aqui grudada no computador acompanhando o que está acontecendo lá no Festival Nacional de Teresópolis 2017: toda hora alguém posta um vídeo ou mais fotos, e eu fico aqui de longe admirando!

Admirando e morrendo de orgulho: algumas das "Cotinhas" estão participando e duas de nossas alunas foram premiadas - a Kumiko Amagai e a Sandra Traetta.

Foram semanas a fio de trabalho muito duro, mas o reconhecimento veio!

Estas são as peças participantes:

Painel premiado da Sandra Traetta.

Colcha premiada da Kumiko Amagai.

Colcha da Rosalva Junqueira (ela dizia que preferia fazer peças pequenas e que nunca faria uma colcha... já fez até outras além desta!)

Colcha da Beatriz Barbosa.

Painel da Kumiko Amagai. Estas flores montadas com base em cálculos geométricos são tão, TÃO complexas que nós batizamos o projeto, temporariamente, de "flores impossíveis". A Kumiko está lá em Teresópolis, acompanhando tudo de perto e nos mantendo informadas. Olha ela aí junto de suas flores: quem disse que eram impossíveis? 

Colcha da Kumiko Amagai.

Estamos muito honradas por participar pela segunda vez desse festival; e pela premiação, tanto em 2016 quanto em 2017, de nossas alunas. Essa participação envolve meses de planejamento e trabalho, mas também nos proporciona muitas alegrias. Uma delas é, dias antes do início do evento, ir até Bocaina de Minas, onde mora a Beth Cox - organizadora do Terê Quilt há 17 anos - e entregar diretamente em suas mãos nossas preciosas peças. Correio? Que nada! Para nós, a ida a Bocaina virou tradição:

É ou não é para desejar voltar a um lugar como este?
Além do passeio, lá tem a D. Hanelore - a pioneira do patchwork no Rio de Janeiro, mãe da Beth, e uma professora lembrada e admirada por todos.

Lá também tem arte por todo lado!

E tem as peças maravilhosas, feitas à mão, pela D. Hanelore. Na foto, minha aluna Ivanise Rebello, que me acompanhou na viagem, embevecida com essas relíquias!

Mais um trabalho de mestra da D. Hanelore. 

Lá também tem uma comidinha maravilhosa, naturalíssima, feita pela Beth, e almoço com a lareira acesa!

E foi assim que a gente encerrou a visita. Só sorrisos! Na foto, eu, Rosalva, Ivanise, Beth e D. Hanelore. 

Muito obrigada, Beth, por mais uma oportunidade de participar, e por nos receber mais uma vez em sua casa!

Obrigada às meninas que confeccionaram projetos para enviar, e a outras que não participaram com projetos, mas apoiaram de outra forma suas colegas (né, Ivanise?).

Obrigada às pessoas que aocmpanham este bloco e curtem nossas postagem, deixando comentários carinhosos e encorajadores. É um privilégio estar à frente do ateliê que leva o nome de minha avó, e poder trabalhar com pessoas criativas e entusiasmadas!

A família da "Cotinha" só cresce e se torna mais unida. Quer se juntar a nós? Ainda temos vaga para este semestre!

Fique com este vídeo gravado pela Kumiko lá no Festival, e aproveite para visitar a página do ateliê no facebook:

Bom fim de semana!

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 26

Bom dia!

 Semana passada eu deixei uma pista: a primavera se aproxima, então o bloco de hoje será uma...

...FLOR!

Muito simples de costurar - apenas cantos-quebrados: uma técnica que, a essa altura, você já domina. O segredo é variar tamanhos: os cantos externos do bloco são quebrados em uma proporção de 50%; os cantos internos, que formam o miolinho, são quebrados a 25%. Não visualizou? Repare:

Agora ficou mais claro, né? Vamos à lista de corte:
  • As pétalas medem 4 polegadas; corte com 4 1/2", 4 vezes, em tecido estampadinho (tonalidade entre claro e médio).
  • Os cantos quebrados maiores medem 2 polegadas; corte quadradinhos de 2 1/2", em tecido escuro, 8 vezes. 
  • Os cantos quebrados menores medem uma polegada; corte quadradinhos de 1 1/2", quatro vezes, em tecido amarelo (ou no tecido que você escolher para o miolo da flor.

A montagem não poderia ser mais simples: Comece quebrando os cantos. Em cada quadrado estampadinho, quebre dois cantos grandes e um pequeno, como mostrado abaixo; as quatro pétalas serão idênticas - tudo na mesma posição:

Em seguida, junte de dois em dois: sempre usando uma peça com a margem do canto quebrado pequeno voltada para o tecido amarelo, e a outra peça com a margem voltada para o tecido estampadinho. Atenção à posição das peças:


Faça duas vezes. Entendeu a sacada das margens invertidas, né?

Agora, junte as duas bandas (as setas vermelhas mostram que as margens na etapa anterior foram passadas para lados opostos - não esqueça!):
E é só isso!

Com algumas flores iguais a esta, você pode criar um caminho de mesa primaveril. Mas dê uma variada:
  •    não disponha os blocos linearmente; a cada bloco, acrescente uma faixa de coringa cortada com 2 1/2. Isso fará com que cada bloco torne-se retangular, medindo 8 x 10; 
  •    na hora de costurar, inverta as posições, fazendo com que as flores fiquem desencontradas. 
  •    use faixas em coringa, também cortadas com 2 1/2", entre cada bloco;
  •    acrescente bordas em coringa também cortadas com 2 1/2";
  •    por fim, um friso colorido antes da borda final, em tecido clarinho e simples.

Reparou na azeitoninha em cima da empada? Se você gosta de appliqué, acrescente folhas aqui e ali. Primavera no ar!

Com esta postagem, espero atrair ares de primavera aqui para o Sul de Minas: adoro o frio, mas o inverno este ano está sendo gelado demais até para nossos padrões!

Semana que vem continuaremos nesse espírito: faremos outro bloco com jeitinho de primavera. Já fizemos passarinho, flor... qual será o próximo?

Continue conosco e até quarta que vem!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 25

Bom dia!

Semana passada nós tivemos o desafio de montar um bloco cheio de pedacinhos diferentes e confusos... e conseguimos!

Hoje vamos pegar leve: nosso bloco da semana é um tradicional design "cestinha", feito com bipartidos, retângulos e quadradinhos:

Muito fácil!

Primeiro, a lista de corte:

- Os quadradinhos medem 2 polegadas; corte com 2 1/2, uma vez em tecido azul escuro, uma vez em tecido coringa.

- Os retângulos medem 2 x 4; corte com 2 1/2 x 4 1/2, duas vezes, em tecido coringa.

- Os triângulos são todos do tipo HS e medem 2 polegadas; corte quadrados de 2 7/8, sendo:

  •      3 vezes em tecido estampado azul, de tonalidade média;
  •      2 vezes em tecido azul escuro;
  •      5 vezes em tecido coringa; 

Monte os bipartidos como você já aprendeu nas lições anteriores. você vai precisar de:
  •      6 bipartidos combinando os tons médio + coringa;
  •      4 bipartidos combinando os tons escuro + coringa.

E para montar o bloco, é só seguir o esquema; comece unido os bipartidos. As setas vermelhas mostram a direção em que você deve passar as margens de costura:


Começando a juntar tudo:

E finalmente:


Pronto!

O bloco cesta é ótimo para projetos do tipo "scrap" - feitos com sobrinhas variadas - de posicionamento diagonal:


Neste design, eu utilizei:
  •      9 blocos "cestinha" com base sempre marrom e tons variados nas "flores";
  •      16 blocos irish chain (ou "cadeia irlandesa"), com quadradinhos sempre verdes - para pôr ordem na misturinha!
  •      triângulos de encaixe final em bege discreto, para não competir com as cestas. 


Não deu para enxergar? Que tal agora:


Tudo é uma questão de ponto de vista!

Se você vem acompanhando este projeto, sabe que existe uma aula à parte sobre design, tipos de montagem e etc., que eu já citei várias vezes. Por via das dúvidas, aqui vai o link novamente: é a lição básica nº 9. Porque aqui a gente não se contenta apenas fazendo patchwork: a gente quer criar, também!

Quarta-feira que vem voltaremos com mais um bloco ilustrativo - aquele tipo que representa algo concreto. Dá para imaginar o que será? Uma pista: a primavera vem aí....

Tenham uma boa semana!

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 24

Olha o passarinho!

Hoje vamos mais uma vez utilizar a técnica canto quebrado para criar um bloco ilustrativo - como fizemos no bloco casinha e no bloco coração. Mas hoje vamos costurar um passarinho!

Blocos ilustrativos parecem difíceis porque normalmente suas proporções fogem às grades tradicionais. Mas, na verdade, são formados por sub-unidades simples e fáceis de costurar. Na hora do cálculo, é só prestar muita atenção às proporções. 

Na ilustração acima, repare que o passarinho em si está montado em uma grade de 4 x 5 quadradinhos. Estou considerando que cada quadradinho mede 1 1/2; então o design está medindo 6 x 7 1/2. Para complementar o tamanho desejado - 8 polegadas - eu acrecentei tiras em coringa em cima e embaixo, medindo uma polegada cada; e à direita do desenho eu acrescentei uma tirinha de meia polegada, onde está posicionado o biquinho. Deu para enxergar?

Vamos à lista de corte:

Peça A

É um quadrado de 3 polegadas; corte com 3 1/2, em azul escuro, uma vez. 
Para quebrar os cantos (que medem metade do tamanho do quadrado, ou 1 1/2), corte dois quadradinhos de 2 polegadas, em tecido azul claro.

Quebre os cantos como você aprendeu nas intruções dos blocos anteriores. Preste atenção à posição das diagonais! Se tiver duvidas sobre a técnica, releia a lição básica nº 5. Reserve.

Peça B

É um retângulo medindo 4 1/2 x 1 1/2; corte com 5 x 2, uma vez, em tecido azul claro.

O canto superior dessa peça é quebrado na proporção de 1/3; se a largura da peça é 1 1/2, então esse cantinho mede apenas meia polegada. Corte com 1 polegada (sempre meia a mais, né?), uma vez, no tecido coringa.

O canto inferior tem a mesma largura da peça - 1 1/2; corte com duas polegadas, uma vez, em coringa.

Quebre os cantos e reserve.

Peças C e D:

São gansinhos, mas as cores variam e você vai precisar de somente um de cada. Se você fosse confeccionar vários passarinhos, valeria apenas costurar gansinhos; mas você já aprendeu que gansinhos são montados sempre de 4 em 4; nesse caso, três deles seriam desperdiçados. Então vamos montar essas peças utilizando cantos quebrados - que dão o mesmíssimo resultado.

As peças medem 3 x 1 1/2; corte dois retângulos de 3 1/2 x 2, em tecido coringa.

Para quebrar os cantos, você vai precisar de quadradinhos de 2": corte três peças em tecido azul claro e uma peça em tecido azul escuro.

Quebre os cantos como mostrado no desenho e reserve.

Peça E:

É um retângulo de 3 x 1 1/2; corte com 3 1/2 x 2, uma vez, em tecido azul claro.

Para quebrar os cantos, corte dois quadradinhos de 2", em tecido coringa.

Monte a peça e reserve.

Peças F:

Medem 4 1/2 x 1 1/2; corte com 5 x 2, duas vezes, em tecido coringa.

Peça G:

É um quadradinho de 1 1/2; corte com 2 polegadas, uma vez, em coringa.

Peça H:

É uma tirinha de 1/2 x 6; corte com 1 x 6 1/2, em coringa, uma vez.

Peças I:

São as tiras complementares, de 1 x 8, superior e inferior; corte com 8 1/2 x 1 1/2, duas vezes, em coringa.

Vamos montar? Confira se suas peças têm a aparência abaixo:

Está faltando o biquinho, não é?

Para o biquinho, você vai usar apenas um triangulozinho de feltro, ou um quadradinho de tecido dobrado para formar um triângulo.

Acompanhe a montagem. A essa altura você já é uma "cobra criada" - bem esperta! - portanto já sabe o que fazer com as margens de costura e o posicionamento das peças. Não sofra tanto com a questão das margens de costura: lembre-se apenas que elas precisam estar invertidas ao encaixar duas peças com costuras que se cruzam. Na hora do encaixe, se as duas estiverem voltadas para o mesmo lado, inverta uma. Passar as margens deve ser instintivo, e por isso não vou mais orientar o lado como venho fazendo até aqui: você vai aos poucos percebendo sozinha o que funciona melhor. Então apenas siga o esquema:


Agora, antes de costurar a peça H, é preciso alfinetar o biquinho  na "cabeça" do passarinho, como mostrado abaixo:



Agora é só acrescentar as peças "i", em cima e embaixo. Está pronto!

Já pensou confeccionar uma versão "pombinha da paz" - em tecido branco e com o raminho de oliveira bordado no biquinho? 


Essa é a graça do patchwork - as possibilidades são infinitas!

Hoje estamos completando 2/3 de nosso projeto - a meta é 36 blocos. Chequei no calendário, e o último bloco será postado no dia 25 de outubro. Depois disso, vou postar a cada semana sugestões e instruções para diferentes tipos de montagens. Com seus 36 blocos, você poderá montar uma colcha, xale de leito, manta de sofá... ou vários projetos menores, se preferir.

Continue com a gente e até semana que vem!

terça-feira, 18 de julho de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 23

Bom dia!

A essa altura eu já estou longe - viajando! Mas não podia deixar vocês sem "dever de casa". Então preparei a postagem e programei para hoje de manhã.

Tem uma técnica que aprendemos láaaa no começo do projeto: postei dois blocos que a utilizam, e depois não voltamos a trabalhar com ela. Já sabe qual é? Lembrou?

É o tripartido!

Mas como sempre penso em reforçar o aprendizado acrescentando uma pitada de tempero, hoje vamos fazer tripartidos espelhados!

Eis o bloco de hoje:



Esta estrela com efeito de sobreposição é muito bonita - e simples de fazer!

Vamos à lista de corte:

Peça A: É o quadrado central. Mede 4 polegadas, então corte com 4 1/2, uma vez só; como é uma peça simples e maiorzinha, aproveite para utilizar uma estampa mais elaborada.

Peça B: Quadradinhos dos cantos; medem 2 polegadas, então corte com 2 1/2, quatro vezes, em tecido coringa.

Peças C e D: Tripartidos. Se necessário, consulte a lição básica número 7 e relembre como calcular tripartidos. A montagem foi explicada aqui mesmo no nosso projeto, nas intruções do bloco 6

Você já sabe que os tripartidos utilizam ambos os tipos de triângulos - HS e QS. Precisamos de tripartidos medindo duas polegadas, então vamos cortar:
  •      HS: 2 7/8. Você precisa de 8 triângulos, então corte 4 quadrados, no tecido claro (na ilustração acima, estou usando a cor verde água);
  •      QS: 3 1/4. Você precisa de 4 triângulos no azul médio e quatro no azul escuro, então corte 1 quadrado de cada. Você também vai precisar de 8 triângulos em tecido coringa, então corte 2 quadrados. 
A montagem é do jeitinho que expliquei nas instruções do bloco 6, com apenas uma pequena diferença. repare só neste esquema que trouxe de lá:

Ele mostra que os pares de triângulos QS são costurados na posição mostrada - cor embaixo, coringa em cima, começando a costura pelo ângulo reto. Para o nosso bloco de hoje você vai fazer assim para 4 dos tripartidos - digamos, os que têm o azul mais escuro. Faça os 4 pares e reserve. Mas quando fizer os outros 4 tripartidos - os que usam o azul médio - inverta a posição mostrada acima: alinhe coringa embaixo, cor em cima. Mas costure do mesmo jeito - começando pelo àngulo reto. Essa inversão é que vai criar o efeito espelhado.

Depois de montar os pares de QSs para todos os tripartidos, o resultado deve ser este - você deve ter 4 peças de cada:


Na pilha da esquerda, passe as margens em direção ao triângulos azul; na outra pilha, passe em direção ao coringa. 

Se a posição estiver certinha, prossiga como ensinado nas instruções do bloco 6: costure um triângulo HS verde água a cada uma das 8 peças acima. Seus oito tripartidos estarão prontos. Mas atenção na hora de passar: na pilha da esquerda (azul escuro), passe as margens em direção ao triângulo grande; na outra pilha, passe para o lado oposto. Isso vai te ajudar na hora de juntar de dois em dois, pois as margens já estarão invertidas:


Agora ficou fácil montar o bloco:

Uma variação interessante deste bloco seria:
  •      substituir o quadrado central por quatro bipartidos, formando um catavento;
  •      substituir os quadrados simples dos cantos por unidades 4-patch - aquelas contendo quatro quadradinhos montados em strip-piecing (que já aprendemos ao longo deste projeto).

Ficaria assim:
Este design já foi mostrado na lição básica número 9; e lá também mostramos diversas possibilidades de projetos utilizando o bloco. Vai lá e se joga!

Até a próxima!


domingo, 16 de julho de 2017

Projeto Solidário 2017 - Visita ao Abrigo e Entrega das Mantinhas

Olá!

Venho adiando escrever sobre esse projeto... Difícil, viu? Nosso projeto solidário do ano teve muitos momentos de emoções em alta, mas certamente a entrega das peças a cada um dos idosos do Asilo Nsa. Sra. Auxiliadora, aqui em Pouso Alegre, foi o ponto alto!

Estamos todas muito felizes por alcançar a meta e costurar 48 mantinhas para doação aos idosos neste inverno particularmente rigoroso. Na verdade, quando a gente conduz um projeto como este os benefícios são para quem trabalha também: quem acompanhou nossas postagens no blog pôde ver como a gente se reuniu durante semanas a fio; como costuramos, rimos, cozinhamos e comemos juntas. Foram diversos encontros em turnos variados e, na reta final, quando vimos que ia ser apertado cumprir a meta, dois encontros de dia inteiro com direito a sopinhas e caldos.

Os laços entre nós se fortaleceram - a parceria e cumplicidade cresceram; e também foi muito bom ter a certeza de poder contar com o apoio de amigos do ateliê - pessoas que doaram valores direto à Loja Jomar Tecidos, para crédito em nosso nome, e graças a essas doações pudemos forrar todas as mantinhas com um material super quentinho e especial: um tipo de microfibra leve e fofinha, muito usada em cobertores. A própria loja doou material também. O valor que essas pessoas doaram rendeu 48 metros de material, e só retiramos 36 por enquanto. Usaremos o restante em mantinhas extras para futuros novos internos, que chegam ao asilo com frequência. 

Aqui vai a estória toda - em fotos!


Uma das primeiras mantinhas montadas - uma log cabin bem colorida!

Ivanise (aluna) e Consuelo (ex-aluna e artesã da Ponta de Agulha) montando mais uma peça. O projeto também serviu para aproximar alunas de épocas diferentes do ateliê.

Mantinhas no varal na casa da Kumiko - topos prontos, ainda aguardando acolchoamento, mas já lindos de morrer!

Kumiko, Terezinha, Inês e Ivanise mostrando algumas das peças prontas. A Inês não é aluna do ateliê, mas participou de todas as etapas do projeto e foi nossa "ponte" com o asilo: ela é frequentadora assídua e conhece todos os idosos e suas histórias. Sua ajuda foi valiosa! Como se não bastasse, ela está aproveitando sobras de material e costurando sapatinhos para os idosos. 


Mantinha doada pela Patrícia Toledo da Santa Pati Work Atelier. A Patrícia é ex-aluna e, apesar de sua agenda não viabilizar a participação nos mutirões, ela montou duas peças inteiras e as doou prontinhas e embaladas com seu capricho de sempre!


O encerramento dos mutirões: Kumiko, Terezinha, Eliana, Inês, Rosalva, Ivanise, Flávia (filha da Terezinha, que coordenou a etapa final de verificação, etiquetamento e embalagem das peças) e eu. 

Este projeto também serviu para nos mostrar o quanto somos capazes de fazer, se nos unirmos: houve os mutirões; houve gente que trabalhou nos mutirões e em casa também - como a Sandra, a Terezinha, a Kumiko e a Graziana, que doaram vários topos prontos feitos em suas casas (a Kumiko também acolchoou várias mantinhas sozinha e a Grazi ainda teve a pachorra de aplicar à mão corações e estrelas em várias delas!).

Houve quem não pôde vir aos mutirões, mas contribuiu doando tecido já cortado - como a Alessandra e a Gil, ex-alunas. Houve quem doou blocos prontos, como a Bia e a Geane. Houve quem nem conhece a gente pessoalmente, mas segue as aulas virtuais no blog, fez blocos para doar e os enviou pelo correio - como fez a fofa da Renata Alves, que mora em Jaboticabal, SP. Houve ex-aluna que está sem participar no momento por conta de deveres da maternidade, mas fez doação em valores para a gente retirar material, como a Alice. Houve todo tipo de ajuda.

E por fim, aconteceu a entrega. Estava agendada uma festa julina no asilo na tarde do dia 08, então aproveitamos a ocasião:








Por questões de privacidade, evitamos fotos; as imagens acima foram postadas na página da instituição por eles mesmos. Mas eu recomendo: vão visitar e conhecer essas pessoas! Foram muitas histórias, muito aprendizado em uma tarde só, mas as impressões mais forte que tive são:

- Não possuímos nada, no fundo. Somos um punhado de matéria e podemos encerrar a vida desprovidos de posses. Então precisamos ter menos orgulho, vaidade e apego ao que temos, e dividir mais com quem não tem.

- Algumas pessoas nascem para ser anjos na terra: fiquei muito impressionada com a alegria, a força, a atitude dos funcionarios do asilo - desde a Sra. Dita, que nos mostrou até a lavanderia e explicou como tudo funciona, aos rapazes e moças bonitos e sorridentes que conhecem os idosos de verdade e os tratam com carinho e paciência. Não é um trabalho fácil. As pessoas que passam seus dias lá dentro precisam ser muito, muito especiais.

- Como há pessoas nessa cidade fazendo sua parte! A festa julina estava sendo promovida e organizada por funcionários da Auto Pista, que administra a rodovia Fernão Dias: jovens que trabalham duro estavam lá doando sua tarde de sábado para fazer a alegria dos moradores. Da mesma forma aprendi sobre outras empresas, pessoas e escolas que visitam a insituição regularmente, mesmo que seja para oferecer apenas atenção e carinho aos idosos. Apenas? Isso é o que eles mais precisam!

E houve os encontros com os idosos....

... o senhorzinho que tem peixinhos e passarinhos em seu quarto, um triciclo para andar pelos corredores como um menino, e disse pra mim que gostaria de ter todos os bichos se pudesse.

...a senhorinha que, ao despedir-se de nós, queria nos dar a mantinha que acabara de ganhar, porque achava que tínhamos de receber um presente também. 

... uma senhorinha beijou minha mão quando recebeu sua mantinha.

... outra senhorinha pediu que rezássemos por ela.

... um senhorzinho comentou comigo que o som da sanfona tocada na festa trazia lembranças de seu pai e sua infância.

... a Dona Carolina, de olhos azuis, sorriso de atriz de Hollywood, toda de vermelho, contando que também fora costureira e fizera muitos vestidos de baile e de noiva. Ela parecia pronta para vestir um deles com sua elegância!

E muitas, muitas outras histórias.

Tivemos o relato de que as mantinhas estão sendo usadas pelos idosos de manhã, após o banho, quando saem dos quartos e aproveitam o solzinho da manhã. E nessa hora fica tudo colorido. 

Mas é uma gota d'água, né? Vamos nos unir e fazer mais? Vai ter mais projeto solidário este ano, mas fica para outra postagem.

Obrigada, muito obrigada a todos que apoiaram este projeto:

William Clareth da Jomar Tecidos

Mais amigos do que eu poderia citar por nome. 

E, especialmente, minhas alegres e determinadas alunas e ex-alunas. Vocês são m-a-r-a, e já estou com saudades dos nossos encontros.

Bom domingo a todos!